Posts
Moda

SPFW DIA 4 | Saiba tudo sobre o último dia da edição N44 da semana de moda!

spfw_dia4

DESFILE DO SAMUEL CIRNANSCK

A segunda marca da grife, batizada de SCK, apresentou uma pegada jovem, moderna e divertida com vertentes do mundo do rock.
O que teve? Bordados mais alegres e menos ornamentais, mix de jeans com vestidos, e maxi laços nas golas. A cartela de cores predominava em preto, branco, amarelo e vermelho e os prints com letras grafitados, deram o ar street nas peças.

DESFILE DO COVEN

Povos africanos clicados pela perspectiva de Jackie Nickerson dão vida e alma para a nova coleção da mineira Liliane Rebehy, à frente da grife.
O que teve? Apostas em material rústico e natural, cartela de cores alegre e vibrante que vai do caqui ao vermelho, rosa, azul e verde. A estética de texturas é rica e os looks são finalizados com com pedras vulcânicas e madeira. Acessórios de ráfia também garantiram o styling.

desfile do SPFW 2017 do Coven

Desfile da Juliana Jabour 

A coleção trazia a atmosfera nautica em uma releitura cheia de referencias à moda urbana norte americana dos anos 2000.

O que teve:

Peças em shapes statement, moletons, print de estrelas e uma alusão aos maxi logos. A cartela de cores predominante era preto, branco, vermelho e azul.

desfile do SPFW 2017 da Juliana

Desfile do Apartamento 03

Buscando inspiração no mundo da arquitetura, Luiz Claudio diretor da Apto 03, conta que chegou até a escritora Elizabeth Bishop e através dela a urbanista francesa Lota, e é para ela que ele dedicou este desfile.

O que teve? pegada masculina com estampas de tabuleiro xadrez e a leveza do dna da moda carioca. Para colorir a coleçao, muito branco, lilás, marinho, verde menta, vermelho e mostarda

Desfile da Ratier

A pegada urbana sustentável da Ratier permanece na coleção inspirada na arquitetura e no estilo industrial.

O que teve? cartela de cores predominante em branco, preto, cinza e vermelho e shapes estruturados confeccionados com reaproveitamento de tecidos das coleções anteriores.

desfile do SPFW 2017 da ratier

Toda beleza pode ser:

Para o encerramento do SPFW a marca Cemfreio (destaque da Casa de Criadores), foi convidada a criar uma coleção para homenagear a diversidade da e a beleza de todos os tipos!

O que teve? Mix de referencias que vai alem da trend genderless. Masculino e feminino não são separados e homens podem usar luvas 3/4 e mulher conjunto de terninho. Ponto para igualdade!

desfile do SPFW

Beijos, Opte+

Sem comentários
Moda

SPFW | Ainda não acabou! Acompanhe o terceiro dia do evento no Opte+

optemais-no-spfw-dia3

Desfile da Animale

Hoje o SPFW abre com a presentation da Animale na flagship da marca. Vitorino Campos, à frente da coleção se inspirou em uma viagem que fez a Indochina e o Vitnam de 1900 como pano de fundo. Nesta edição, Juliana Paes, Sabrina Sato e Grazi Massafera também apresentam as criações pelo evento.

O que teve? Orientalismo pop em tecidos fortes como jacquard, além de bordados, lurex e lamê. Prints de dragões, camuflados e flores. Os quimonos ganharam destaques com faixas brilhantes. Respeitando a individualidade, as modelos puderam escolher o cabelo com que se sentem bem!

Desfile da Gloria Coelho

Inspirada pela história de vida e experiências das pessoas, Gloria Coelho convidou as próprias amigas de sua idade, além de outras personalidades como Marina Lima, a atriz Alinne Moraes e influencer Camila Coelho, para desfilarem a nova coleção que faz uma releitura da serie “The Crown”.
O que teve? Referências das diferentes fases da rainha Elizabeth II. Vestidos de festa, coroas, igrejas, a viagem para Africa e roupas estilo equestre, sempre respeitando o minimalismo chic, característica marcante na moda da estilista.

Desfile da Gloria Coelho

Da esquerda para a direita: Animale e Gloria Coelho

Desfile do Ronaldo Fraga

Em uma coleção inspirada na praia dos anos 1920 e nos frequentadores de elite, Ronaldo Fraga retorna ao SPFW após uma temporada longe. Segundo ele, as areias públicas são democráticas e tem espaço para todos os tipos de pessoas.
O que teve? Tecidos tecnológicos, óculos com cordões, cores neutras contrastando com preto e shapes comportados com acento da época. Os modelos, de diferentes tipos físicos, ressaltam a diversidade e o make pesado e coque banana, pontuam a vaidade para o lazer da época.

Desfile da SISSA

Ao buscar referências na Africa dos anos 70, e nas próprias memórias de família, a estilista Alessandra Ferreira conta que se inspirou em conceitos artesanais como argila e cerâmica ao material reciclado para desenvolver a nova coleção que leva o nome de “Nzuri Artesania”
O que teve? Tressê, palha e tear. Na cartela de cores: mix de tons neutros e quentes em prints digitais aquarelados. A novidade são as peças confeccionadas com a comunidade de artesãs de Muquém(MG), que trouxe o bordado de madeira sobre tecidos reciclados do ateliê. A beleza delicada foi inspirada em Emmeline, personagem da atriz Brooke Shields em “A Lagoa Azul”.

Desfile da SISSA no SPFW 2017

Da esquerda para direita: Ronaldo Fraga e Sissa

Desfile da Cotton Project

Divida em dois momentos, a coleção da Cotton Project apresentou uma inquietação urbana do cotidiano. Os velhinhos do Higienópolis retratados na primeira parte e logo depois os jovens e na busca incansável por caminhos de paz, explorando o mood místico, astrologia e meditação.
O que teve? Modelagens de alfaiataria amplas, conjuntos listrados em tons de marrom, mostarda e azul, além de padronagens da camisaria tradicional. Tons de verde menta, azul piscina e a frase “Anxiety Free” em camisetas, reforçam o clima fresh e sonhador da coleção.

Desfile do Lino Villaventur

Com suas já conhecidas e aprimoradas técnicas de textura, o desfile de Lino Villaventura passa longe das tendências e prova mais uma vez sua paixão e dom para a moda.
O que teve? Volumes, nervuras, bordados richelieu e materiais translúcidos deram vida aos looks elaborados do estilista. Um momento de romantismo atinge a passarela com vestidos fluídos e bordados seguindo a cartela de cores quentes. O patchwork, um dos pontos fortes da marca, apareceu no encerramento do desfile.

Desfile do Lino Villaventur no spfw2017

Da esquerda para a direita: Cotton Project e Lino Villaventur

Desfile da TIG

Para homenagear a Cidade Maravilhosa em sua segunda participação no SPFW, a Tig apresentou a coleção “Ela é Carioca”.
O que teve? Estampas com os cartões postais do Rio de Janeiro em P&B mesclavam os looks que traziam elementos do boxe, como a faixa de elástico com logo na cintura. A estamparia vibrante já consagrada da grife ganhou tons vibrantes como verde bandeira, lilás e azul escuro.

Desfile da Amir Slama

Foi revisitando o passado das vedetes brasileiras dos anos 50 que Amir Slama encontrou a inspiração para criar a nova coleção verão 2018. Ao som de Frank Sinatra, o desfile apresentou sua modelagem rica e estética elegante.
O que teve? Bustiês estruturados com nervuras e bordados de correntes remetiam à jóias. Num mix de referências entre beachwear e moda íntima da época, a coleção transitava na cartela de cores de vermelho sangue, rosa clarinho, roxo, branco e dourado.

Desfile da Amir Slama do spfw 2017

Da esquerda para a direita: TIG e Almir Slama

 

Beijos, Equipe Opte+

Sem comentários
Moda

SPFW DIA 2: COBERTURA COMPLETA DOS DESFILES NO SEGUNDO DIA DO EVENTO

Desfile do Segundo dia do SPFW 2017

DESFILE DA GIULIANA ROMANO

Sem nenhuma peça preta na passarela, o Verão 2018 de Giuliana Romano traz um contraste elegante entre fluído e o rígido, o tradicional e o rústico.
O que teve? Tecidos laminados, mangas japonistas, jacquards de seda e algodão. Alfaiataria com bolsos de cipó tramado e juta entretelada, é fruto da parceria da entre a marca e a Casa do Rio – Teçume, um grupo formado por artesãs do Amazonas. Bolsas estilo cestaria também compõem a coleção.

DESFILE DO VITORINO CAMPOS

A partir do disco Araçá Azul de Caetano Veloso, o estilista encontrou a liberdade de expressão que queria transmitir para a coleção.
O que teve? Itens brancos em sarja, algodão rústico e pele fake em shapes amplos, coloridos por cristais e costuras. Durante a semana do SPFW, as modelagens do designer estarão disponíveis para download. A intenção é permitir que o público interprete a coleção como quiserem.

Desfile do vitorino campos

Da esquerda para direita: Giuliana Romano e Vitorino Campos.

Desfile da Lenny Niemeyer

Inspirada pelo trabalho das artistas do século 19 Hilma af Klint e Emma Kunz, consideradas bruxas na época e percursoras do abstracionismo geométrico, a coleção da Lenny evidencia a força da mulher.
O que teve? Misticismo, cartela de cores lunares, maiôs confeccionados com mais de 200 fios de elastano que recriam a geometria das artistas

DESFILE DA VANESSA MOE

Em uma imersão na cultura aborígene, a estilista radicada na Austrália faz seu début na passarela do SPFW apresentando a coleção Circles. Para enfatizar ainda mais o tema rústico, Vanessa trouxe modelos nativas da Oceania.
O que teve? Técnicas de alta costura construídas com a ajuda dos artesãos da comunidade do país. Tecidos rebuscados como seda e tule receberam aplicações que remetiam às pinturas corporais das tribos, além de penas, franjas e bordados. A cartela de cores predominante era preto, branco e vermelho.

desfile da vanessa moe

Da esquerda para direita: Lenny Niemeyer e Vanessa Moe.

DESFILE DA PAT BO:

Clima surrealista e alegre de uma praia tropical dos anos 60 invade a coleção da PatBo. Os bordados, DNA característico da marca, permanecem e ganham formas de flores, peixes e corais coloridos.
O que teve: Bordados a mão imitando traços infantis, listras e transparências, rasteiras e bolsas de palha geométricas e maxi jaqueta jeans. A beleza rockabilly e as sombrinhas feitas com a mesma estampa das roupas trouxeram um charme descontraído.

TWO DENIM:

A marca que tem como material base o jeans, foge do óbvio e aposta no mix de babados, detalhes e aplicações.
O que teve: Macacões destroyed, maxi babados, botas em jeans, detalhes em faixas verde neone recortes assimétricos.

Da esquerda para direita: Pat Bo e Two Denim.

DESFILE DA LAB:

Fruto do universo do rap dos irmãos Emicida e Fióti, a LAB trouxe sua moda urbana e democrática para a passarela. Sempre enfatizando a inclusão, a diversidade e o respeito, a marca teve como ponto de partida a reflexão sobre o futuro na coleção batizada de Avuá.
O que teve: Peças oversized com pegada street, materiais esportivos como nylon, malha e moletinho. Detalhes em acessórios dourados e aplicação de patches também estiveram presente nas peças. Na estamparia, muitos pássaros e nuances de azuis.

Agua de Coco por Liana Thomaz:

Tendo como pano de fundo a paradisíaca ilha de Bali na Indonésia, a Agua de Coco mergulhou na beleza natural e no cotidiano das pessoas locais para criar sua nova coleção verão 2018. Destaque para o casting estrelado que contou com Carol Trentini, Bruna Tenório, e Ana Claudia Michels, em seu primeiro desfile após voltar da gravidez.
O que teve: Estampas de folhagens e campos de arroz em tecidos naturais que faziam contraponto com os chapéus cônicos dos colhedores. Prints em cores vibrantes como laranja, amarelo e roxo em musseline e chiffon de seda, lembravam um amanhecer. Hot pants em couro transpassado e patches de orquídeas em neoprene foram aplicados nas peças criando um efeito incrível.

Da esquerda para direita: LAB e Agua de Coco.

Conta para a gente o que te conquistou nas coleções lindas que rolaram no SPFW até agora!

E se você quiser ver tudo o que está rolando agorinha, fique ligada no instagram do @optemais que estamos fazendo a cobertura completa com vídeos e lives para você!

Beijos, Equipe Opte+

 

Sem comentários
Moda

SPFW DIA 1: O que rolou no primeiro dia de desfiles!

opte+-no-SPFW-dia-1

No último domingo, dia 27 de Agosto, foi dada a largada a mais um São Paulo Fashion Week. A abertura oficial da edição N44 do evento ficou por conta do desfile da marca Iodice no Palácio Tangará. A cobertura completa você acompanha durante a semana aqui no blog Opte+. Fiquem ligados!

Desfile do Iodice:

Em comemoração aos 30 anos de marca, Valdemar Iodice conta que se inspirou na história da própria Iodice e no trabalho da artista Sonia Delaunay para criar a nova coleção, Tropical Art.
O que teve? Referências orgânicas e gráficas, shapes fluídos em seda, franjas e zíper, maxi listras, brilho para comemorar e mix de texturas na mesma peça, mas sem perder a harmonia.

UMA por Raquel Davidowicz

O conforto e a tradicional alfaiataria descomplicada da UMA provam mais uma vez que o DNA da marca não se perde em tendências após 20 anos de história. Realizado na Japan House, o desfile apresentou inspirações em designers japoneses.
O que teve? O trabalho do artista norte americano Cy Twonbly estampando peças em tecidos naturais e a linha beachwear minimalista, que podem ser usadas como roupa de baixo aparecendo nas transparências.

Desfile da Paula Raia

Seguindo a filosofia do slow fashion, o desfile de Paula Raia trouxe como inspiração a ação do tempo e a evolução de sua veia criativa. A estilista aproveitou a ocasião e vestiu os convidados com uma capa cor de rosa, em uma experiência poética para homenagear o sagrado feminino.
O que teve? Materiais nobres como seda e tule de algodão, técnicas artesanais de feltragem, bordados e camadas de tecido representando o desgaste das roupas e os efeitos causados pelo tempo.

Desfile da Paula Raia

Da esquerda para direita: Desfile Iodice, Desfile UMA por Raquel Davidowicz e Desfile Paula Raia

Vix by Paula Hermanny

Apresentando seu segundo desfile nas passarelas do SPFW, a estilista trouxe uma coleção sólida e contextualizada. Batizada de Trópicos, a inspiração é vista na cartela de cores vibrantes e nos detalhes.
O que teve? Tecidos que parecem chamoix, nós de cordas, linho formando estruturas de roupas nos biquinis, calças amplas e camisas de seda de algodão. Para colorir,tons terrosos, lilás, rosa blush e off white.

Desfile da Fabiana Milazzo

Inspirada em um mundo de sonhos, a coleção tem ar lúdico e fantasioso. “Borboletas no fundo do mar e peixes em árvores, como um subconsciente sem sentido”, explica a estilista.
O que teve: Uma linha totalmente moda festa, com vestidos volumosos, estruturas leves, plumas para dar movimento, tules e bordados. Na cartela de cores, azul celeste, amarelo canário e nuances de nude.

Desfile do João Pimenta

Baseado em três cores base, branco como céu, vermelho para o inferno e cinza representando o limbo entre os dois, o desfile de João Pimenta trouxe como tema central o bem e o mal e a vulnerabilidade humana.
O que teve? Recortes, telas, bordados, linho e texturas em jacquard. Os ternos foram usados sem camisa e as calças ganharam modelagens amplas.

Desfile do João Pimenta

Da esqueda para direita: Vix by Paula Hermanny, Fabiana Milazzo e João Pimenta.

Desfile da Lilly Sarti

Sempre pensando no bom gosto de suas clientes, o verão de Lilly Sarti é urbano e tem aroma de pele bronzeada, como afirma a própria estilista.
O que teve? Cartela de cores quentes, diversidade de peças leves e tecidos nobres como crepe de seda, couro de cabra e jacquard. A marca também apresentou mules, aposta certa da estação e ainda confeccionados com matéria prima e mão de obra nacionais.

Desfile da Osklen

Batizada de Tarsila, a coleção nasce através do olhar para o acervo com os primeiros esboços da artista. A partir de uma “tela limpa” o desfile começa com traços a lápis e vai desenhando sua trajetória, até encerrar com peças estampadas por obras famosas, como o Abaporu.
O que teve? Alfaiataria risca de giz unissex, tecidos naturais, sarja e moletons, além do vestido paraquedas e do casaco de “tyvek”. A coleção será lançada em Nova York junto com a exposição de Tarsila no MoMA.

Desfile da Triya

A estilista Isabela Frugiuele aborda o tema com base no olhar de um colonizador. O poema “Erro de Portugês” de Oswald de Andrade foi o alicerce para uma coleção que sonha com um Brasil redescoberto.
O que teve? Estampas inspiradas na fauna e flora, coserlets e espartilhos europeus em lycra, trecê, macramê e palha sempre presente nas coleções da marca, além dos biquínis em jeans reciclado, criados em parceria com Damn Project.

Desfile da Triya

Da esquerda para direita: Lilly Sarti, Osklen e Triya.

E partimos para o próximo dia do desfile!

#Ansiosas?

 

 

Sem comentários
Moda

ESQUENTA SPFW | CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DOS DESFILES NO OPTE+

Programação Desfile no OPTE+ no SPFW

Acabou a ansiedade! Saiu o line up completo da edição N44 do SPFW com as 33 marcas que irão desfilar entre os dias 27 a 31 de Agosto. A semana dá o start no domingo com desfiles externos e a partir do dia 28 passa a ocupar a Fundação Bienal no Parque Ibirapuera. Em meio ao momento econômico delicado que o país enfrenta, o evento busca a ideia de um Brasil diverso e resiliente.

O Opte+ já está com presença garantida e se prepara para te deixar por dentro de tudo que vai rolar por lá. Fique de olho nas nossas atualizações ao vivo pelo Instagram @optemais!

Veja abaixo os horários dos desfiles e as marcas disponíveis no Opte+

Desfile do SPFW para Domingo dia 27/08

IÓDICE – 16:00

Desfile do SPFW para Segunda dia 28/08

UMA RAQUEL DAVIDOWICZ – 10:00

PAULA RAIA – 11:30

OSKLEN– 15:00

VIX PAULA HERMANNY – 16:30

FABIANA MILAZZO – 17:30

JOÃO PIMENTA – 18:30

LILLY SARTI – 19:30

TRIYA– 20:30

Desfile do SPFW para Terça dia 29/08

GIULIANA ROMANO – 10:00

VITORINO CAMPOS – 11:00

LENNY NIEMEYER – 15:00

VANESSA MOE – 16:00

PAT BO – 17:00

TWO DENIM – 18:00

LAB – 19:00

AGUA DE COCO POR LIANA THOMAZ -20:00

Desfile do SPFW para Quarta dia 30/08

ANIMALE – 10:00

GLORIA COELHO -11:30

RONALDO FRAGA – 14:00

SISSA – 15:00

COTTON PROJECT – 16:30

TOP 5 – 17:30

AMIR SLAMA – 18:30

LINO VILLAVENTURA – 20:00

TIG – 21:00

Desfile do SPFW para Quinta dia 31/08

SAMUEL CIRNANSCK – 12:00

COVEN – 14:30

HELO ROCHA – 15:30

JULIANA JABOUR – 17:30

APARTAMENTO 03 -18:30

RESERVA – 19:30

RATIER – 20:30

#TODABELEZAPODESER – 21:00

 

Quem aí já está ansioso para o evento de moda mais esperado de São Paulo?

\o/

Sem comentários

Instagram

Unable to communicate with Instagram.

Siga o @optemais no Insta!